20051127

Reboot Needed

Acho pouco usual escrever sobre mim mesmo num canto onde o objetivo é escrever sobre idéias e ponto de vista acerca da sociedade, inteligência e um pouco da psique humana, mas vejo que, para escrever o que pretendo, não posso fugir muito disso.
Ultimamente estou em um estado de stress tão grande, que tem me acarretado efeitos colaterais pouco desejáveis, na verdade muito indesejáveis.
Não que stress seja essencialmente ruim. Quando justificado, como nessas semanas que seguem, ele é um fator importante e decisivo no sucesso de um projeto.
Mas quando o stress é injustificado, obtido devido a uma metodologia equivocada de trabalho/tarefas cuja pessoa que delega não entende o motivo de como você as realiza e o coage para realizá-las da forma que ela acha correta, não importando as justificativas, sejam elas válidas ou não, tais efeitos colaterais aparecem frequentemente.
Quem me conhece sabe do que falo, pois deve ter percebido uma mudança de comportamento que ocorre comigo. Mudança essa que está começando a me preocupar.
O nervosismo comum se transforma em uma raiva canalizada, a qual é retro-alimentada justamente por aqueles que a causaram e que evidentemente se tornam alvo, fazendo-os retro-agir, aumentando o stress e consequentemente a raiva.
A mente, lógica e em busca da evolução, torna-se irracional, animalizada, frustrando objetivos e atrasando processos.
Uma interrupção engatilha a raiva contida, a cabeça esquenta, literalmente, a visão se turva, sua mandíbula se pressiona tão fortemente num instinto de auto-preservação para evitar uma besteira que aterroriza aos que presenciam a cena.
E isso me assusta, pois me tira de um estado de calma que aprecio e gosto de preservar, me levando a um estado animalesco. E peço desculpas a algumas pessoas que presenciaram isso (não a todas, pois algumas foram as causadoras).
Uma sugestão, ou pedido, para realizar algo bom, vinda de maneira inesperada, num momento como esse, me deixou confuso, travado, num estado amental (também não sei da existencia dessa palavra) a tal ponto de eu ter que ser esclarecido de coisas que estavam mais que claras e a ponto de, posteriormente, eu me frustrar comigo mesmo por eu me encontrar sem ações para fazer ou sem palavras para dizer, seja de forma clara ou confusa, o meu ponto de vista.
Nisso, algo importante aconteceu, mesmo tendo eu me auto-frustrado (se é que essa palavra pode existir), fiz algo que eu precisava e, apesar de não completo, foi algo que precisava. Espero apenas não ter frustrado a pessoa em questão, tampouco a feito me interpretar erroneamente.
Não estou melhor, tampouco pior, mas sairei desse estado com a ajuda de meus amigos ou me afundarei em uma série de ações causadas por um preconceito de um nicho ignorante da sociedade que acredita estar levando a mesma para a evolução, quando de fato a está levando-a à beira do abismo.
Preciso de uma lobotomia... ou, na pior das hipóteses, pois já acho que não consigo passar no teste de Turing, de um reboot...

1 Comments:

Anonymous malkavian sis said...

we are here, my brother malkavian!

28/11/05 18:13  

Postar um comentário

<< Home